CEAA - Centro Espírita Antonio de Aquino
CEAA - Centro Espírita Antonio de Aquino

CEAA

“Que o amor único de Deus inspire todas as almas para o bem”

O Centro Espírita Antonio de Aquino (CEAA), apoio espiritual à Obra Social Antonio de Aquino, passou a funcionar em janeiro de 1982, seguindo a mesma diretriz de funcionamento do CELD.  Além das reuniões públicas de estudos, passes, estudos sistematizados das obras básicas da Codificação Kardequiana, encontros e seminários, o CEAA também oferece cursos para médiuns.

Antonio de Aquino
Antonio de Aquino

Antonio de Aquino

b

em pouco, infelizmente, se sabe sobre sua vida. Filho de abastada família de Pisa (Itália – Século XVII), muito cedo tornou-se órfão de pai e mãe.

Sozinho, já mais adulto, entrou para a vida religiosa, filiando-se a um convento, onde, no seu próprio dizer, fora recebido por esmola. Tornou-se um conhecido pregador de sua época, mas sua pregação não foi em um lugar determinado. Quando sentiu que esse seu momento havia chegado, saiu a pregar por toda a Europa.

Como sua pregação era reconhecida pelo seu amor e sinceridade, passou a ser o pregador dos grandes senhores. Assim, ele pregava nos castelos dos ricos. Em suas andanças, começou a observar que havia muita dificuldade e pobreza no mundo.

Concluiu, então, que o verdadeiro Evangelho não poderia se limitar a pregação; era necessária a dinâmica da modificação interior, que levaria à divisão das posses ou pelo menos à distribuição da riqueza de modo a diminuir o flagelo de alguns.

Assim, conseguiu montar, em um castelo em ruínas, que lhe foi cedido, um pequeno núcleo onde atendia aos necessitados da região. Era um núcleo de assistência social, tal como vemos modernamente.

Além de minimizar as dificuldades e as dores daqueles pobres, Antonio de Aquino lhes pregava o Evangelho do Senhor, o verdadeiro Evangelho, aquele que nos leva a mudanças interiores.

Diz-nos ele, até hoje: “É o nosso trabalho igual àquele que realizaram os seguidores do Cristo”. É assim que ele vem buscando abrir os olhos dos mais sensíveis.

Em sua escolha de ser divulgador do verdadeiro Cristianismo não agradou à Igreja da época, que pregava o anti-evangelho, atendendo mais aos interesses dos ricos do que aos do Cristo.

Antonio de Aquino, o pregador, sacrificara-se pela verdade. Seu mérito perante o Pai lhe fechara a porta perante os homens. Por isso, tornou-se alvo de acusações falsas. Foi chamado herege, sofreu apodo e foi cruelmente desprezado, vindo a desencarnar, cego, com esse estigma de herege.

Na desencarnação, encontrou ele a liberdade de cultuar a verdade cristã, que foi sua meta, durante toda a vida.

É desse modo que o vemos até hoje trabalhando por essa verdade.
Certamente, por sua experiência em trabalhos junto à pobreza, à sociedade e por seu imenso amor, é ele o espírito responsável pela evolução social no Brasil, estando ligado a movimentos sociais.

Assim, quando o Centro Espírita Léon Denis começou seu progresso de definição de trabalhos assistenciais, foi escolhido o Espírito Antonio de Aquino para patrono desse serviço, exatamente por ser sua característica de trabalho a atuação nesse setor e pelo seu interesse pela evolução da Sociedade no Brasil.

Antonio de Aquino é um espírito extremamente preocupado com a pobreza e com a dor, ou melhor, com o alívio dessa dor. Que esse espírito possa ser nosso exemplo, no trabalho assistencial, de amor ao próximo, de humildade, de bondade e de verdadeiro trabalho no bem com Jesus!

“Toda pessoa que serve além do dever, encontrou o caminho para a verdadeira felicidade. Não basta não fazer o mal, é preciso fazer o bem”

Allan Kardec